CORRIDA E MUSCULAÇÃO: UMA HISTÓRIA DE AMOR?!

Se você é corredor precisa se manter longe dos treinos de musculação, porque, sem dúvidas, eles prejudicarão sua performance. Seria isso uma realidade?!

Como corredora amadora há mais de uma década, posso lhe dizer que esse é mais um dos mitos que circundam a corrida. Por mais que, de fato, um treino pesado de membros inferiores possa lhe deixar fadigado para correr – no mesmo dia ou nos dias subsequentes -, a musculação é muito importante para fortalecimento dos músculos. Pode perceber pela foto que, mesmo correndo há anos, minhas perninhas sempre foram grossas, sabe?! Isso tem um pouco de genética sim, mas muito também em decorrência dos treinos frequentes de musculação. 

Sabe aqueles ditos de que “a corrida faz o bumbum cair” ou “a corrida deixa flácido”?! Na verdade, tais fatos não podem ser atribuídos ao ato de correr em si, mas à falta de fortalecimento. Convenhamos, se não houver massa magra, não haverá tônus muscular e, como consequência, acontecendo o emagrecimento e perda de gordura pela prática do exercício físico aliada à alimentação correta, pode haver o ‘excesso de pele’.

Mas, muito além da estética, a musculação é um importante aliado dos corredores que tirarão diversos benefícios ao praticá-la de forma correta.

Para melhor elucidar essa questão, convidei meu personal trainer Luiz Eduardo Kokufu para falar um pouco sobre esse tema. Olha que legal!

 Corrida e Musculação: Romeu & Julieta!

 “Ao começar a correr é muito comum que praticantes amadores em busca de melhora do seu ritmo de corrida, e entusiasmados com suas evoluções rápidas, exagerem no volume de treino e tendam a praticar diariamente. Decorrente desse acontecimento, é muito provável que o impacto repetitivo e sem fortalecimento, juntamente com a prática a longo prazo, pode sobrecarregar o corpo e causar lesões comuns, como canelite, tendinite, entre outros.

Aliar a musculação à corrida só trará benefícios ao praticante. A musculação melhora a otimização de resultados na corrida, ou seja, o atleta/ praticante com o fortalecimento e potência provindos da musculação precisará de um esforço menor para cumprir o seu percurso. Além disso, podemos destacar, como um dos principais benefícios da musculação, o preparo da musculatura para os treinamentos intensos, protegendo articulações e ossos contra possíveis impactos e lesões.

Melhora-se, assim, o desempenho de um modo geral. De “bônus”, decorrente do treinamento de força com pesos, ocorre uma aceleração no metabolismo. E vocês concordarão comigo que quanto menos peso carregamos, menor é a energia gasta para correr, certo?!

Obviamente os músculos que devemos dar mais ênfase são os membros inferiores, justamente para preparar a musculatura para o impacto da corrida nos joelhos e quadris. Porém, engana-se quem acha que não necessitamos treinar membros superiores. É de extrema importância que se trabalhe o corpo de uma forma global para manutenção da massa muscular e equilíbrio entre membros superiores, inferiores e “core”. O preparo muscular deve ser bem distribuído, a fim de não forçar excessivamente nenhuma área e obter o melhor desempenho durante a corrida.

 

Luiz Eduardo Kokufu – CREF 014674-G/PR
Instagram @kokufutrainer

Quer iniciar a pratica da corrida, atingir os seus primeiros 5 ou 10 km, ou, quem sabe, até se preparar para uma Meia ou Maratona? Em ambos os casos, a musculação é um componente importantíssimo aos treinos de corrida. Logo, diferentes ciclos de treinamento e periodização requerem ajustes musculares, demandando mais ou menos força do corredor. Com o auxílio de um bom profissional especializado e manutenção das práticas, é muito provável que essa parceria de sucesso entre os treinos de corrida e musculação se tornará muito mais fácil e prazerosa”.

Ele arrasou no título e na explicação, não acham?!

Nós treinamos juntos há quase três anos e, desde o início, a corrida sempre foi o meu foco. Neste período, participei de três Maratonas (NY, Paris e Foz do Iguaçu) e ele sempre adaptou meus treinos de acordo com o ciclo de treinamento. É claro que em algumas oportunidades as pernas ficam fadigadas – é aí, mais do que nunca, que entra a importância de alongamentos, liberação miofascial, alimentação e suplementação adequadas, sem falar no descanso -, mas nunca abri mão de treinar musculação.

Em 2019, quando comecei no triathlon, nosso estilo de treinamento também mudou. Continuamos com os treinos de fortalecimento, dando mais ênfase em exercícios “funcionais” que trabalhassem o corpo de uma forma global. Passamos a dar prioridade a movimentos que fortalecessem os ombros, pernas e ‘core’, objetivando, justamente, minha evolução nas novas modalidades que não estava acostumada (natação e ciclismo). A diferença também foi quanto ao volume dos treinos com a nova dinâmica do esporte e, apesar de ter reduzido a musculação para três vezes na semana (antes costumava fazer musculação cinco vezes), ela continuou sendo peça chave na minha evolução.

Não tenho dúvidas de que a musculação me ajudou muito a ter uma melhor performance na corrida. Sempre fui uma grande defensora da prática e costumo realiza-la com consistência há alguns anos.

Como o Kokufu bem ressaltou, é super importante que o acompanhamento se dê por um profissional capacitado e que entenda as suas necessidades e também como você “gosta” de treinar. Já vi muitos professores de Educação Física que mantém o mesmo padrão com todos os alunos, o que fatalmente gera insatisfação por parte deles e, talvez, até mesmo uma ineficiência no treinamento e posterior desistência da prática.

É até comum ouvir de corredores que “musculação é chata”, quando, na verdade, apenas falta certa sensibilidade por parte de profissionais que acompanham esse atleta. Por mais que ame praticar atividades ao ar livre, muito mais do que me render ao ambiente fechado da academia, meus treinos de musculação, hoje em dia, são bem dinâmicos e do jeito que eu gosto!

Portanto, se você ainda não se convenceu de que a corrida é amiga sim da musculação e que, na verdade, a relação entre elas é de um amor sincero, está na hora de procurar uma “nova” forma de encarar isso ou, até mesmo, de treinar. Veja pela ótica de que o fortalecimento pode lhe trazer inúmeros benefícios, afastando-o, inclusive, das lesões que são o maior temor de todos os corredores.

E aí, me conta! Você já é adepto da musculação?!

Se quiser ouvir o bate-papo completo com o meu personal trainer, é só acessar o Episódio #6 – Corrida e musculação: uma história de amor?! no meu podcast (Paola Carrijo): 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *